Ansiedade - Como enfrentar o mal do século - Augusto Cury

"Vivemos numa sociedade urgente, rápida e ansiosa. Nunca as pessoas tiveram uma mente tão agitada e estressada. Paciência e tolerância a contrariedades estão se tornando artigos de luxo. Quando o computador demora para iniciar, não poucos se irritam. Quando as pessoas não se dedicam a atividades interessantes, elas facilmente se angustiam. Raros são os que contemplam as flores nas praças ou se sentam para dialogar nas suas varandas ou sacadas. Estamos na era da indústria do entretenimento e, paradoxalmente, na era do tédio. É muito triste descobrir que grande parte dos seres humanos de todas as nações não sabe ficar só, se interiorizar, refletir sobre as nuances da existência, se curtir, ter um autodiálogo. Essas pessoas conhecem muitos nas redes sociais, mas raramente conhecem alguém a fundo e, o que é pior, raramente conhecem a si mesmas."



Eu não sei como de fato deveria ser uma resenha dos livros do Dr. Cury, tampouco gosto de livros de auto-ajuda, que querem pensar e fazer por você, porém, Cury sempre me encantou, além de ser da minha área profissional, seus livros te fazem pensar na sua vida, no que você está fazendo com ela e se precisa melhorar alguma coisa. Eles não te dizem faça isso, aquilo e aquele outro e seja feliz para sempre. Não, eles te fazem pensar profundamente nos aspectos mais importantes e se autoanalisar, chegando a própria conclusão se está tudo bem ou não.

Neste livro, Cury nos apresenta uma teoria sua muito importante e nos fala do novo mal do século, que segundo ele, supera até mesmo a depressão e atinge a maior parte da população, de crianças a idosos: A Síndrome do Pensamento Acelerado.

Dr. Cury nos expõe sua teoria numa linguagem simples e acessível, mas não de forma massante, como se fossem livros escolares, e sim um livro gosto e rápido de ler, completamente útil e eficaz para a grande maioria.

É comum se distrair, ficar irritado com qualquer coisa, não conseguir dormir direito, acordar cansado, entre tantas outras coisas. O que não pode ser comum é aceitar isso calado e não fazer nada pra mudar. Perder a qualidade de vida é uma das piores perdas que podemos sofrer.

O livro é recomendado para qualquer público, para quem sofre da SPA e também para quem não sofre (parabéns!!) conhecer e evitar. E ainda tem uma dedicatória/homenagem na primeira página que é simplesmente incrível, principalmente se você quiser presentear alguém que você ama e se preocupa.


Quotes:
Pensar é bom, pensar com lucidez é ótimo, porém pensar demais é uma bomba contra a saúde psíquica, o prazer de viver e a criatividade.
O dinheiro compra bajuladores, mas não amigos; compra a cama, mas não o sono; compra pacotes turísticos, mas não a alegria.
Não há céu sem tempestade. Risos e lágrimas, sucessos e fracassos, aplausos e vaias fazem parte do currículo de cada ser humano.
Ser sábio é não significa ser perfeito, não falhar, não chorar e não ter momentos de fragilidade. Ser sábio é aprender a usar cada dor como uma oportunidade para aprender lições, cada erro como uma ocasião para corrigir caminhos, cada fracasso como uma chance para recomeçar.
A ironia do destino é que ele não é inevitável, mas uma questão de escolha.
Ser autônomo, aprender a ter opinião própria e fazer escolhas, mas saber que todas as escolhas implicam perdas.
Superar a necessidade neurótica de mudar o outro (ninguém muda ninguém) e aprender a contribuir com ele, surpreendendo-o.
O que eles fazem com as vaias e os vexames? Com os desafios e as frustrações? E com as lágrimas e traições, ou os fantasmas do inconsciente?
O Eu gerente é livre, leve, solto, faz dos caos uma oportunidade criativa, tem resiliência para usar a dor a fim de se construir, reconhece erros, pede desculpas e encanta as pessoas, por não tem a necessidade de ser perfeito. Por isso, é capaz de falar de suas lágrimas para que seus filhos e alunos aprendam a chorar as deles. Porque um dia as chorarão.
Se a sociedade nos abandona, a solidão é tratável, mas, se nós mesmo nos abandonamos, ela é quase incurável.
O egocentrismo, o egoísmo e o individualismo não são e nunca foram sinais de poder: são, sim, sintomas de uma psique envelhecida e, ao mesmo tempo, infantil.
Para quem amamos, dizer "Obrigado por existir"; para quem acabou de nos decepcionar, "Apesar de ter me frustrado, eu aposto que você vai bilhar."
Só os amigos nos traem; os inimigos nos decepcionam. Só as pessoas a quem nos doamos muito podem nos ferir tanto.  




Título: Ansiedade - Como enfrentar o mal do século
Autor: Augusto Cury
Páginas: 160
Editora: Saraiva
ISBN: 9788502218482
Layout por Maryana Sales - Tecnologia Blogger